quarta-feira, julho 16, 2008

Mundo ao Contrário

Nunca ninguém disse que viver é fácil. Nunca ninguém disse que o mundo é suficientemente belo ao ponto de não permitir crueldade e falsos moralismos. Mas também nunca ninguém disse que teríamos de nos confrontar com a crua realidade na adolescência, na idade de todos os sonhos, na idade em que os contos de fadas ainda existemTodos os amantes dos livros aos quadradinhos que já se deixaram encantar pela magia de Astérix e Obélix, saberão certamente que estes fortes gauleses apenas temiam que o céu lhes caísse em cima das cabeças. E foi isso que me aconteceu há um ano atrás. O céu desabou sobre a minha cabeça, e o meu pequeno mundo feliz ruíu. Numa fracção de segundos, tudo deixou de fazer sentido. Emergi numa torrente alucinante de maldade e falsidade, de inveja e maldicência, contra a qual a minha ínfima existência nada podia. Senti-me desolada, revoltada, injustiçada...perdida! E de cada vez que pensava que nada pior me poderia acontecer, eis que tudo se adensava, tornando-se ainda mais terrível e tenebroso. O desespero roubou-me a lucidez e cheguei mesmo a adoptar a minha defesa de infância, procurando refúgio no local onde me protegia quando o medo dos homens maus me assaltava. Porque afinal era disso que se tratava - de homens maus. Homens sem escrúpulos que não olham a meios para atingir os seus fins, que não aceitam o sucesso de algum seu semelhante.Sobrevivi, agarrando-me à sede de vingança e à esperança na justiça divina. Porém, não mais serei o mesmo ser que fui outrora, já que, como disse Freud, dos conflitos ficam os ensinamentos e hoje sou, sem dúvida alguma, um ser humano mais forte e sobretudo menos ingénuo. À medida que vou recuperando a minha serenidade e a tranquilidade me é devolvida, tenho o discernimento necessário para reconhecer a importância do que me aconteceu. Descobri novas emoções, amigos que se achavam na penumbra e fortaleci laços. Mas mais importante ainda: descobri-me. Descobri a força que julgava não possuir e a coragem que jamais sonhei ter.Hoje, quando olho em meu redor, vejo que estou a ser recompensada por todo o sofrimento e que a justiça divina (tal como a dos homens, diga-se) tarda mas jamais falha!

9 comentários:

Ju disse...

Muito Bom mesmo!
Passa pelo meu e comenta!Adorei, continua a postar que eu leio decerteza

XaNiNHaHh* disse...

Hallo ^^

obrigada por passarem no meu blog =) o teu tambem está muito bom e adoro os textos ^^

bju***

joana almeida disse...

lembro-me mt bem desta altura. toda a gente que estava mais envolvida andava stressada, as pexoas comentavam, a falavam sobre o assunto. eu tb fui apahada nesse turbilhão de emoções, e talvez tenha sido a preplexidade que me apanhou desprevenida, assim como a surpresa, pois não esperava k akilo tivesse acontecido. senti-me mal no momento, mas depois, com o tempo, as coisas poderam começar a caminhar para a normalidade, mas claro k nunca foi atingida. no entanto, tenho a dizer k desde o momento k ouvi o k se tinha passado, percebi k algo n tava certo, pois sei k n eras capaz de tal coisa, pk sempre foste muito trabalhadora, e isso nota-se. ainada bem k te tornaste uma pessoa mais forte. bjs da tua amiga joana almeida

Therina disse...

adorei, escreves muito bem ;D
és um bocado como eu, sem dizer sobre o que tas a falar, escreves um texto inteiro ;D

continua, adorei o teu blog ;D
e obrigado <3

Therina disse...

não é simpatia, é verdade ;D

xD

Mami disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mami disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ju disse...

Obrigada pelo comment e boas ferias para ti tb! Diverte-te

x_MarciiSchäfer_x disse...

Adorei...
Escreves muito bem!
Não sei o que se passou, sei que adorei o texto. Expressas-te os teus sentimentos...

Küss <3